Sexta-feira , Dezembro 13 2019
Home / Saúde / Conheça a criatura que pode regenerar seu cérebro e resistir ao cancro

Conheça a criatura que pode regenerar seu cérebro e resistir ao cancro

Sabia que os axolotes são provavelmente uma das salamandras mais estudadas cientificamente no mundo?

O axolotle (do náuatle axolotl) (Ambystoma mexicanum), também conhecido como axolote, é uma espécie de salamandra que não se desenvolve na fase de larva. um exemplo de animal neoténico, pois conserva durante toda a vida brânquias externas, uma característica do estado larval. Os axolotes são muito usados em laboratório devido à sua capacidade de regeneração (o animal pode se regenerar tanto que no caso de perder um membro ou sua cauda, consegue criar um completamente novo.

DECLÍNIO DA POPULAÇÃO

Axolotes são de longa duração, sobrevivendo até 15 anos com uma dieta de moluscos, vermes, larvas de insetos, crustáceos e alguns peixes. Acostumada a ser um predador de topo em seu habitat, esta espécie começou a sofrer com a introdução de peixes grandes em seu habitat natural. As ameaças naturais incluem aves predatórias, como garças.

 

As populações estão em declínio, já que as demandas da vizinha Cidade do México levaram à drenagem e à contaminação de grande parte das águas do complexo do Lago Xochimilco. Eles também são populares no comércio de aquário, e axolotl torrado é considerado uma iguaria no México, ainda mais encolhendo seus números. Eles são considerados uma espécie criticamente ameaçada.

DIFERENÇAS DE OUTRAS SALAMANDRAS

Encontrado exclusivamente no complexo lacustre de Xochimilco, perto da Cidade do México, os axolotes diferem da maioria das outras salamandras, pois vivem permanentemente na água. Em casos extremamente raros, um axolote progredirá até a maturidade e emergirá da água, mas, em geral, eles se contentam em permanecer no fundo dos lagos e canais de Xochimilco.

Parentes próximos da salamandra do tigre, axolotes podem ser bastante grandes, atingindo até um pé de comprimento, embora o tamanho médio seja próximo a metade disso. Eles são tipicamente pretos ou castanhos, mas variedades albinas e brancas são um pouco comuns, particularmente entre espécimes cativos.

Sobre Ricardo Alves

Veja Também

Desvendada a Regeneração da Planária

Muito embora sejamos amantes do aloe vera, temos de nos render perante a outra parte …

Deixar uma resposta